Queima de Gordura - 5 Dicas para Aumentar a sua Queima de Gordura Corporal

Queima de Gordura - 5 dicas para aumentar a sua queima de gordura corporal

Confira nesta matéria 5 dicas simples para que você aumente a sua queima de gordura corporal.

Todos nós sabemos que é muito difícil eliminar aqueles quilos de gordura excedentes em nosso corpo, seja para quem quer melhorar sua estética corporal ou para quem precisa melhorar a sua saúde. É um processo lento e doloroso, e duram semanas.

Mas por que isso acontece?





Nosso corpo tende a se acostumar com os diversos estímulos, sejam dietéticos ou físicos, que lhe é dado. Portanto, pela lei da adaptação, teremos uma maior dificuldade durante as semanas decorrentes e, dificuldade essa que só tenderá a aumentar conforme formos negligenciando novas tentativas.

Portanto, mais do que sair aplicando métodos, é importante primeiro conhecer algumas formas de aumentar essa queima de gordura de maneira relativamente natural e simples, otimizando cada vez mais os seus ganhos. 

Conheça essas 5 dicas que podem fazer a diferença:

1 – Consumo proteico 

Um dos primeiros fatores que devem ser observados em uma dieta de emagrecimento ou que visa a definição muscular é a quantidade de proteínas ingeridas

Sendo o único macronutriente capaz de construir músculos e, teoricamente, constituir a musculatura, as proteínas necessitam de um aporte adequado na dieta. Porém, aporte este que deve estar ajustado de acordo com as necessidades individuais de cada um

Portanto, tanto o excesso proteico, quanto a falta, será prejudicial. O excesso do consumo proteico poderá ser convertido em gordura corpórea, além da possibilidade de causar inúmeros prejuízos para a saúde, visto que um dos metabólitos das proteínas é a amônia, extremamente tóxica ao corpo e, em especial ao sistema nervoso central. Ainda nos prejuízos, para que essa amônia seja eliminada, há necessidade de um trabalho extra dos rins e do fígado, órgãos esses que podem então, diante a tal situação ter algum tipo de dano pela sobrecarga. 

Por sua vez, o consumo inadequado de proteínas pode gerar malefícios como:
- a perda de massa muscular; 
- perda óssea; 
- declínio em algumas funções hormonais e imunitárias, entre outros, fazendo com que, além de esteticamente ruim o resultado, ele não seja lá extremamente saudável. 

As proteínas ainda apresentam ótimas vantagens que podem ser aliadas a esse processo de queima de gordura, como a termogênese de até 35% a mais do que os carboidratos, favorecendo o aumento da taxa metabólica basal e consequentemente do consumo calórico. 

2 – Frequência entre as refeições 

Apesar de ser um assunto ainda muito controverso, diversas são as formas que podemos distribuir as calorias e, consequentemente os nutrientes durante o dia, obedecendo não só as necessidades individuais dietéticas, mas também, as preferências individuais, as possibilidades e impossibilidades da rotina do indivíduo, as questões financeiras, etc.

Antigamente, preservava-se o hábito das 3 principais refeições do dia: 
- o café da manhã;
- o almoço;
- e o jantar. 

Em alguns casos ainda, se considerava um café ou chá da tarde e talvez um copo de leite ou chá antes de dormir, para os mais famintos. Entretanto, esses hábitos foram mudando e, com algumas bases, passou-se a defender a ingestão um pouco mais frequente de alimentos, contemplando de 5 a 6 refeições por dia para um indivíduo saudável ou até mesmo com leves problemas como o sobrepeso leve.

Hoje ainda, alguns profissionais costumam defender o consumo de alimentos com certa frequência/regularidade, visando objetivos como: 
- controle do apetite;
- controle da liberação de insulina;
- evitar superlotação estomacal (apesar disso ser difícil no emagrecimento);
- possibilitar uma menor interação entre micronutrientes competitivos, entre outros. 

Mas, o que parece mais importante nisso tudo, é o que novas pesquisas vem demonstrando: 
- comer com frequência ajuda a preservar a massa muscular e, como sabemos, ela é importantíssima não só por questões estéticas, mas para um bom metabolismo (e velocidade do mesmo) também. 

Portanto, já que não há, propriamente dita uma regra sobre a frequência alimentar, cabe ao profissional que está orientando a dieta, entender e entrar em um acordo com o seu paciente a fim de estabelecer a melhor ou as melhores estratégias para tal. 

3 – Cuidado com o consumo de carboidratos

Carboidratos são a fonte energética melhor aproveitada pelo corpo humano. 
Isso porque, possuímos equipamento básico e fundamental projetados para digerir, absorver e metabolizar em diversas vias esses produtos finais da digestão. Assim, carboidratos, por serem ótimas fontes de energia, também podem ser estocados muito facilmente. Mas, não só por isso. 

Os carboidratos são o principal fator de ativação da secreção de insulina, um dos principais hormônios envolvidos com a sinalização de síntese e, entre essas sínteses, está 
a de TG (triacilgliceróis) para estoque. Portanto, é conveniente que tomemos cuidado não só com as quantidades de carboidratos ingeridas, mas também, com os momentos em que eles são ingeridos (devendo ser priorizados os momentos precedentes e antecedentes ao treinamento e na primeira refeição) e, claro, com o tipo de carboidratos que são ingeridos, dando preferência aos complexos. 

4 – Treinamentos aeróbios em sistema HIIT 

Sabemos atualmente que uma das formas mais eficazes de queimar gordura é pelo treinamento de alta intensidade, conhecido como HIIT. Este, pode ser feito de diversas maneiras e possui inúmeros benefícios não só relacionados ao seu baixo tempo de duração, o fazendo poupar tempo, mas também e, principalmente, pelos efeitos metabólicos, como o aumento de testosterona, o aumento de enzimas que recrutarão a gordura corpórea, etc. Assim, você pode realizar moderadamente em frequência esse sistema e, sempre com pelo menos 6h de distância do treino de pesos (resistido). 

Lembre-se: Essa prática NÃO DEVE ser feita em jejum

5 – Utilize especiarias e alimentos termogênicos 

Especiarias termogênicas podem ser extremamente válidas para quem deseja aumentar o metabolismo e, consequentemente gastar mais calorias durante o dia de maneira natural. Algumas dessas podem ser a canela (que também aumenta a sensibilidade à insulina), as pimentas diversas (cuidado com a páprica, apenas), o cravo (também com moderação), o chá-verde (branco) e outras infusões como o café e outras ervas.

Consulte um Profissional da Área da Nutrição.

Com essas dicas em mãos, aplique-as no seu dia-a-dia e observe as mudanças significativas que acontecerão no seu modo de vida e no processo de queima de gordura corporal.

Fonte Consultada: Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon) com algumas adaptações

Comentários