Treinos Combinados de Força e Aeróbicos - Por que são tão significativos para o Emagrecimento?


Emagrecimento - Treinos Combinados de Força e Aeróbicos

Só o título já deixa bem claro a proposta. Desmistificar que para ocorrer o emagrecimento não é necessário somente exercícios aeróbicos e que a combinação destes com treinamento de força proporcionará melhores resultados.

Nesta matéria estou reproduzindo um artigo que recebi em meu email da Fitness Brasil e achei interessante compartilhar as ideias contidas nele. Vale a pena a leitura!!!

Por que treinos combinados de Força e Aeróbicos 
são tão significativos para o Emagrecimento?



Nos últimos anos houve incremento do número de adultos acima do peso saudável em todo o mundo, afetando aproximadamente 50,8% da população brasileira segundo o Ministério da Saúde (2014). Embora seja recomendado melhora no padrão alimentar e a prática de atividade física no controle do peso e no emagrecimento (Donnely, et. al. 2009), não há consenso da melhor prescrição de exercício, tipo e metodologia que promovam mudanças significativas.




Alguns aspectos devem ser considerados na organização de um programa de exercícios no emagrecimento

  • exercícios que promovam alto gasto calórico por sessão, devendo para isso envolver grandes grupos musculares preferencialmente o corpo todo; 
  • exercícios em intensidades moderada a vigorosa, sendo que quanto mais tempo em atividade vigorosa, maiores serão os benefícios; 
  • programa deve ser prescrito para 4-5 vezes por semana, pois a frequência é determinante no emagrecimento. 

Nesse sentido, os treinamentos que buscam a melhora do condicionamento físico, tanto da função cardiorrespiratória como da força muscular são fundamentais, embora a pergunta chave seja: fazer os dois estímulos na mesma sessão ou em dias diferentes? 



Os estudos mais recentes (Silva Filho, et. al., 2014; Alizadek, et. al., 2013) demonstram que exercícios combinados de força e aeróbico em uma mesma sessão, em alta intensidade, são mais efetivos que fracionados em dias diferentes, tendo redução média de 22,3% (Pekmezi, et. al., 2011) em relação aos treinamentos em dias diferentes (Souza, et. al., 2014). 


Entretanto, na mesma sessão de treinamento a ordem de execução (aeróbico+força; força+aeróbico) não é fator determinante para promover maior gasto calórico, sendo similares. A intensidade do programa de treinamento aeróbico deve ficar entre 80-85% da frequência cardíaca máxima na parte aeróbica e o trabalho de força, pensando na musculação, deve ser organizado para ganhos de força-hipertrofia. 

Mais recentemente (Moura, 2014) sabe-se que o treinamento de força-hipertrofia seguindo a periodização ondulatória promove maior perda de gordura corporal e ganho de massa magra que o treinamento linear. 

No treinamento de força-hipertrofia, recomenda-se que os exercícios sejam multiarticulares, pois assim haverá maior demanda metabólica pela quantidade total de músculos envolvidos em todos os exercícios. 

Desta maneira, o incremento da massa magra contribuirá com a manutenção do peso após a redução do peso em função do aumento da taxa metabólica em repouso e no exercício. Os exercícios aeróbicos isoladamente se mostram menos efetivos na manutenção do peso corporal após programa de redução da adiposidade. 

Escrito por:
Aylton Figueira Jr. (formado em Educação Física, pós-graduado em Fisiologia e Bioquímica do Exercício no Instituto de Medicina Esportiva Manuel Fajardo em Cuba; Mestre e Doutor pela UNICAMP)


Comentários