AdSense topo

03 abril 2016

Série: Análise Cinesiológica da Musculação - Articulação da Pelve


Cinesiologia - Articulação da Pelve, Quadril

Dando sequência a série sobre Análise Cinesiológica, abordarei agora os exercícios que envolvem a articulação da pelve. Boa leitura!
EXERCÍCIOS QUE ENVOLVEM 
ARTICULAÇÃO DA PELVE 

Essa articulação possui como função principal suportar o Esqueleto Axial e Apendicular Superior que proporciona o equilíbrio do homem durante a posição anatômica e em diversas posições durante a movimentação. 

Assim como as articulações do tornozelo e do joelho é fundamental o fortalecimento dessa musculatura, tanto para a estabilização da articulação como para a realização de atividades cotidianas, tais como a caminhada e a corrida. Além de que o equilíbrio entre a musculatura da pelve e do quadril é fundamental para o alinhamento do corpo humano. (CAMPOS, 2000) 

Desta articulação serão realizadas análises cinesiológicas de dois exercícios:
a) abdução da coxa na cadeira abdutora; 
b) adução da coxa na cadeira adutora. 

Aspectos da articulação da pelve 

É formada pelo encaixamento da cabeça do Fêmur no Acetábulo do osso do quadril, composto pela união dos ossos Ílio, Ísquio e Púbis (RASCH, 1991). Além de ser caracterizada como Enartrodial, ou de bola e soquete. (THOMPSON e FLOYD, 1997) 

Miranda (2000) afirma que a articulação também conhecida como Coxofemoral é classificada como uma Diartrose Sinovial, do tipo esferóide com três graus de liberdade de movimento, ou seja, Triaxial. Podendo realizar Flexão, Extensão, Abdução, Adução, Rotação Interna e Externa, assim como Abdução e Adução Horizontal e Circundação. Além disso, ele cita os seguintes elementos de estabilização e reforço articular: Cápsula Articular e os Ligamentos Iliofemoral, Pubofemoral, Isquiofemoral, da Cabeça do Fêmur e Transverso do Acetábulo. 

a) Abdução da Coxa na Cadeira Abdutora 
Cadeira Abdutora

Descrição do movimento 

Posição inicial: o individuo senta-se na cadeira com os joelhos flexionados a aproximadamente 90º, coluna estendida e totalmente apoiada no encosto do assento, colocando os pés sobre o calço específico para tal função. As pernas e coxas se localizam próximas a linha medial com o peso apoiado na altura dos joelhos, realizando tensão para aproximar os joelhos da Linha Mediana. 

Execução: com o peso resistindo contra o afastamento das coxas é desenvolvido o afastamento dos joelhos até o máximo possível, distanciando os membros inferiores da linha mediana. 

Posição final: em seguida permita que o peso fique maior que a força muscular e aproxime as coxas, até que atinja a posição inicial. 

Plano de execução do exercício 

As coxas e pernas se aproximam e afastam realizando um movimento horizontal, devido a flexão do quadril, o que representa um movimento no plano Transverso ou Horizontal, apoiado no eixo longitudinal ou vertical. (CAMPOS, 2000) 

Músculos que participam da execução do exercício 

Segundo Rodrigues e Carnaval (1999), os músculos mais atuantes neste exercício são o Glúteo Médio e Tensor da Fáscia Lata. No entanto, Miranda (2000), ainda cita o Glúteo Máximo, representado pelas Fibras Superiores e Laterais, e o Glúteo Mínimo, Pisiforme, Sartório, além dos Obturadores Interno e Externo como auxiliares. 

Tipo de alavanca presente na execução do exercício 

Na execução deste exercício a alavanca presente é de Primeira Classe ou Interfixa, onde o joelho representa a resistência, o encaixe do fêmur é o fulcro e a musculatura glútea é a executora responsável pela força. 

Observações e curiosidades 

• Esse exercício tem algumas variações e também pode ser realizado em pé com uma Caneleira ou Tornozeleira do Puxador, fixadas no joelho ou tornozelo, ou ainda em decúbito lateral, com ou sem caneleira. (RODRIGUES e CARNAVAL, 1999) 

• A resistência do exercício é maior no início da abdução e vai diminuindo quando se aproxima do final. (CAMPOS, 2000) 

• O fortalecimento desta musculatura leva a maior proteção da parte externa da articulação do joelho, que no caso do indivíduo com Joelho Geno Varo, é de fundamental importância devido à diminuição da sobrecarga das forças sobre o ligamento colateral lateral. 

b) Adução da Coxa na Cadeira Adutora 
Cadeira Adutora

Descrição do movimento 

Posição inicial: o indivíduo senta-se na cadeira com os joelhos flexionados a 90º, com a coluna e assento apoiados no encosto e pés colocados sobre o calço específico deste. As pernas e coxas colocadas afastadas ao máximo possível da linha medial, com o peso que força o afastamento dos membros inferiores apoiado na altura dos joelhos. 

Execução: o peso resiste contra a aproximação das coxas, que deve ser realizada até o máximo possível. 

Posição final: posteriormente permita que o peso empurre as coxas, até que atinja a posição inicial. 

Plano de execução do exercício 

Assim como justificado no exercício anterior, este também ocorre sobreposto no plano Transverso ou Horizontal, apoiado no eixo Longitudinal ou Vertical. 

Músculos que participam da execução do exercício 

Segundo Rodrigues e Carnaval (1999) e Delavier (2000) os músculos mais atuantes neste exercício são: o Pectíneo, o Glúteo Máximo, em suas Fibras Inferiores e Mediais. Além do Semitendinoso e Semimembranoso como auxiliares. 

Tipo de alavanca presente na execução do exercício 

Na execução deste exercício a alavanca presente é de Terceira Classe ou Interpotente. Onde, o joelho representa a resistência, a musculatura interna da coxa (adutores) os executores da força e o encaixe do Fêmur o fulcro. 

Observações e curiosidades 

• O momento de resistência aumenta conforme as coxas se aproximam, no sentido da Linha Medial. (CAMPOS, 2000) 

• Esse exercício também tem algumas variações e pode ser realizado em pé, apenas com o peso da perna, com o uso de Caneleiras ou Tornozeleiras fixadas nos joelhos. Ou ainda em decúbito lateral com as mesmas sobrecargas. (RODRIGUES e CARNAVAL, 1999) 

• O fortalecimento dessa musculatura auxilia na proteção articular, onde o tendão passa a auxiliar o ligamento colateral medial, o que é fundamental para se evitar lesões em indivíduos Geno Valgos, isso devido a possíveis sobrecargas sobre o ligamento já mencionado. 

Referência Bibliográfica:
MUSSI, Ricardo Franklin de Freitas; LIMA, Larissa Karla Gomes; GOMES, Marcius de Almeida. Análise cinesiológica de uma série básica de musculação. In: SEMANA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNEB, 3., 2002, Guanambi. Anais... Guanambi: Universidade do Estado da Bahia, 2002.

Até a próxima série!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário. Sua opinião é muito importante.